Prefeito Marcelo Beltrão faz balanço dos primeiros dois meses de administração

Na coletiva, gestor pontuou dificuldades encontrados em alguns setores da administração

Texto e fotos: Roberto Miranda/Secom Coruripe 

Na coletiva, gestor pontuou dificuldades encontrados em alguns setores da administração

Na manhã desta sexta-feira (05), o prefeito de Coruripe, Marcelo Beltrão (PP), reuniu a imprensa local para fazer um balanço dos primeiros dois meses de administração. Em pouco mais de uma hora, o gestor pontuou todos os problemas encontrados neste início. Um dos entraves destacados pelo chefe do Executivo é o problema jurídico que envolve um concurso realizado em 2016, já vencido, o que impede a contratação de pessoal e a realização de Processo Seletivo Simplificado (PSS) para suprir as necessidades da população. Além disso, apresentou os débitos e restos a pagar deixados pelos gestores passados, que vão de INSS até inadimplência com a Equatorial, distribuidora de energia.

Na abertura da coletiva de imprensa, o prefeito fez um  breve relato , para deixar os internautas que estavam acompanhando pelas redes sociais cientes de tudo. O que também serviu para subsidiar os profissionais da comunicação que estiveram presentes com suas perguntas.

“Encontramos vários problemas financeiros nestes dois meses de administração. São tantas dificuldades. Vejam que tenho experiência ao longo dos mais de 20 anos de vida pública. Nunca tinha me deparado com tantos problemas. Só para exemplificar: Todo mês o governo federal desconta meio milhão em parcelamentos do INSS, FGTS e um software comprado pelo município. Um verdadeiro bombardeio nas contas e na condução do Município.”, observou.

IMG_5817
Gestor pontuou dificuldades encontrados em alguns setores da administração

Débitos e restos a pagar

Outro grande problema exposto na coletiva foi relacionado aos restos a pagar. Dentro deste ponto, o parcelamento com a Equatorial, concessionária de energia que atua em Alagoas.

“Na última quinta-feira recebemos uma equipe da Equatorial, momento que fomos notificados oficialmente de débitos da Prefeitura com a concessionária. Só com a empresa o Município deve mais de R$ 2,5 milhões, somados os três últimos anos. São recursos que poderiam estar sendo investidos em outras áreas, beneficiando o povo de Coruripe”, chamou a atenção.

IMG_5797
Durante a coletiva, Marcelo Beltrão (PP) elencou débitos deixados pela gestão anterior

Mutirão de limpeza pública

Outro ponto exposto na coletiva foi o mutirão de limpeza. Nos últimos meses de 2020 a prefeitura deixou acumular lixo doméstico, entulhos e o crescimento de mato em todo o município.

“No primeiro dia da gestão iniciamos uma verdadeira força tarefa para limpar as zonas urbana e rural. A cidade necessitava de uma grande limpeza, o que ainda está ocorrendo. Na região central de Coruripe, Pindorama, povoados e praias nos meses de janeiro e fevereiro foram retiradas das ruas entre lixo doméstico, metralhas e capinação mais de oito mil toneladas. Esse tipo de serviço é essencial para a população. E também para uma cidade que quer receber o turista bem”, explanou Marcelo Beltrão.

Contratação de pessoal, PSS e problema jurídico

Ainda em janeiro, tão logo assumiu o comando do Executivo, o prefeito foi notificado pelo Poder Judiciário sobre um problema que envolve um concurso realizado em 2016. Segundo o gestor, a vigência do certame já expirou. Porém, enquanto o problema jurídico não for resolvido, o Município não pode contratar e nem realizar Processo Seletivo Simplificado, seguindo orientação da Justiça.

“Estávamos organizando Processos Seletivos para suprir as necessidades da população. Mas, em seguida, a Justiça mandou suspender. Nem para suprir as necessidades dos programas federais podemos contratar, a exemplo do Bolsa Família. O Tribunal de Contas já se posicionou por suspeição. Porém, só podemos dar andamento aos PSS’s e contração quando a Justiça autorizar”, explicou um dos questionamentos feitos pela imprensa.

Ao assumir e realizar um levantamento sobre o quadro de pessoal da administração foram constatadas algumas anomalias. O que obrigou o Município a realizar uma primeira auditoria na folha de servidores efetivos para descobrir quantos a administração possui e quais as suas lotações. Essa dificuldade se deu pelo fato que os computadores dos Recursos Humanos, Finanças e algumas secretarias foram formatados. Outra dificuldade é que as folhas salariais da Saúde e Educação eram rodadas de forma independente, sem que a Secretaria de Administração tivesse qualquer tipo de acesso.

“Encontramos na folha da administração muitas distorções. Muitos servidores lotados em uma única função. Tinha uma Praça Esportiva que era um vigia para ligar a luz e outro desligar. Uma escola de doze salas que tinha 23 servidores para serviço gerais em um ano que não houve aula presencial. Tenham certeza que tão logo seja resolvido o problema jurídico, vamos realizar Processo Seletivo para contratar e atender as demandas da população e, mais pra frente, um concurso. Afinal, nós fomos eleitos para atender os anseios do povo, a esperança da população foi essa. Vamos oferecer um serviço de qualidade e ao alcance de todos”, atestou o chefe do Executivo.

IMG_5812
“Município deve mais de R$ 2,5 milhões, somados os três últimos anos. São recursos que poderiam estar sendo investidos em outras áreas, beneficiando o povo de Coruripe”

Saúde Pública

Uma das plataformas de governo expostas durante a campanha eleitoral, que atendia os anseios da Pindorama era a reativação do Hospital. Fato este colocado na coletiva. O prefeito Marcelo Beltrão (PP) reafirmou mais uma vez que este antigo sonho já está se tornando real.

“Este anseio da Pindorama vai ser concretizado. Afirmo que o projeto do Hospital já está em tramitação na Secretaria de Estado da Saúde. Este equipamento em funcionamento vai desafogar o Hospital de Coruripe e trazer um maior tempo resposta no atendimento aos pacientes. Com ele em funcionamento, todos ganham”, disse. Marcelo também explicou que o Posto de Saúde será relocado para uma região Central da Pindorama, ficando todo prédio só para o funcionamento do Hospital.

E acrescentou: “A Saúde Pública de Coruripe precisa de muito trabalho. Já existem projetos em andamento, buscando ampliar a oferta no atendimento. Durante a campanha escutei muitas reclamações dos eleitores. Grávidas me confidenciaram que não realizaram pré-natal. Muita gente sem acesso ao básico e nem sequer tinham a quem recorrer e reclamar. Já estamos trabalhando em cima desses problemas detectados. Garanto que vamos ter uma saúde pública mais humanizada”.