Coruripe realiza solenidade de hasteamento da bandeira no aniversário de 128 anos de Emancipação Política

No dia 16 de maio foi comemorado o aniversário De 128 anos de Emancipação Política de Coruripe. Devido à pandemia do novo coronavírus, a prefeitura não pode realizar os tradicionais eventos cívicos, mas alguns atos foram possíveis realizar, como o hasteamento das bandeiras, realizado na Praça Castro Alves, ao som da Banda de Música José Azevedo Vasconcelos. A população pode ainda conferir a solenidade por meio de uma transmissão ao vivo realizada nas redes sociais.

A secretária de Cultura Thereza Beltrão parabenizou e fez uma breve fala sobre os 128 anos de história, lutas e conquistas de Coruripe. “Apesar do momento que estamos enfrentando, não podemos deixar de lembrar dos nossos valores cívicos, lembrar da memória daqueles que tanto fizeram por nosso Coruripe”, disse a secretária.

Estiveram presentes e participaram do hasteamento o deputado federal Marx Beltrão, vereador Hugo Beltrão e Marcos Lima, presidente do Instituto Amigos da Natureza (INAN).

Um pouco da história de Coruripe

Os índios antropófagos Caetés foram seus primeiros habitantes, o local também sofreu influências culturais dos portugueses e holandeses. O rio Coruripe, chamado Cururuji pelos Caetés, originou o nome do município.

Nascida à povoação de Coruripe em consequência da elevação de uma capela e localizada num vale muito próspero, começou a ter desenvolvimento maior do que o da vila de Poxim, a que estava subordinada. Coruripe começou a se desenvolver e prosperar em meados do século XIX.

A vila de Coruripe foi criada pela Lei nº 484 de 23 de julho de 1866, para o qual passou a sede do município, com a denominação de Coruripe. Foi desmembrado do seu município apenas o povoado de Poxim, porém, em 1891, foi novamente anexado a Coruripe pela resolução nº 393 de 31 de maio de 1904 e partilhado, também, entre os municípios de São Miguel dos Campos e Junqueiro.