Diocese de Penedo lança carta com orientações pastorais sobre o novo coronavírus; padre Menete manda mensagem

O bispo Dom Valério Breda, da Diocese de Penedo, emitiu uma carta com uma série de orientações pastorais para os fiéis sobre o novo coronavírus, que tem afetado o mundo inteiro. As paróquias de Coruripe fazem parte da diocese e deverão cumprir as medidas preconizadas na carta.

Uma das medidas é que as igrejas sejam mantidas abertas e arejadas, sobretudo durante as celebrações litúrgicas e, preferencialmente, realizadas ao ar livre.

Outra medida é que esteja à disposição na entrada das igrejas álcool em geral para higienização e qualquer contato físico está proibido nas celebrações litúrgicas e encontros. As confissões continuam, mas com distância mínima de 1,20 entre o sacerdote e o fiel.

Procissões, vias-sacras, catequeses de jovens e adultos e qualquer reunião pastoral estão suspensas.

Em comunicado, o Pe. Manete Severiano, pároco de Coruripe, destacou que é importante evitar o bombardeio de informações para não criar ambiente de pânico. “Devemos prestar bem atenção às suas orientações. Inclusive, o nosso bispo nos convida a uma atitude de oração e esperança que deverá ser somada com alguns cuidados de higiene pessoal, evitando grandes aglomerações”, destacou o sacerdote.

Abaixo, seguem as orientações da arquidiocese:

1 – Todos acolham e obedeçam às determinações das autoridades públicas e da área da saúde e coloquem-nas em prática, por exemplo: lavar sempre as mãos, utilizar álcool em gel ou detergentes ou sabão, fazer uso de máscaras segundo a necessidade, evitar aglomerações, etc;

2 – As igrejas sejam mantidas abertas e arejadas, sobretudo durante as celebrações litúrgicas. As igrejas paroquiais fiquem abertas para livre adoração do Santíssimo Sacramento exposto;

3 – As celebrações das missas aconteçam preferivelmente ao ar livre, convidando o povo a se distribuir e a não se aglomerar;

4 – Nas entradas das igrejas, seja colocado à disposição de todos o álcool em gel para higienização;

5 – Nas celebrações litúrgicas e reuniões, ficam proibidos apertos de mão, abraços e beijos, evitando todo contato físico. Nas confissões se mantenha uma distância mínima de 1,20m entre o confessor e o penitente. Observe-se a mesma distância nas secretarias paroquiais;

6 – Fica suspenso o mutirão de Confissões, mantendo-se o atendimento pastoral nas Paróquias, como de costume;

7 – Idosos e pessoas enfermas são desobrigados da participação nas celebrações litúrgicas de preceito. Mas utilizem as transmissões televisivas e as redes sociais.

8 – Ministros da visitação, ministros extraordinários da comunhão eucarística, Diáconos e Padres, obedecendo às orientações gerais de prevenção higiênica, inclusive usando máscaras cirúrgicas, cuidem da assistência religiosa aos doentes;

9 – Nas famílias seja rezado o Terço em honra de Nossa Senhora e o Ofício de Nossa Senhora;

10 – Administre-se a comunhão eucarística na mão, com prévia e imediata, higienização das mãos com álcool em gel;

11 – Ficam suspensas as procissões e as vias-sacras;

12 – Ficam suspensos os encontros pastorais e catequéticos, de crianças e adultos.

13 – Nos Ritos da Semana Santa, omita-se o Rito do Lava-Pés; omita-se também, na adoração da Cruz, o beijo na imagem do Cristo crucificado, substituindo-o pela apresentação solene da Cruz, que a assembleia litúrgica será convidada a adorar por uma genuflexão ou uma profunda reverência; proceda-se da mesma forma em relação às imagens de Cristo (Senhor dos Passos, Senhor Morto) e de Nossa Senhora das Dores.