Municípios da 6ª Região de Saúde participam de reunião em Coruripe

O colegiado da 6ª Região de Saúde realizou ontem (16), no auditório da Secretaria de Educação de Coruripe, uma reunião com representantes de parte dos municípios integrantes da 6ª região.

O encontro, que reuniu os munícipios de Coruripe, Penedo, São Braz e Porto Real do Colégio, teve o objetivo de discutir as dificuldades e pactuar ações que solucionem problemas de pré-natal, parto e puerpério (pós-parto) nas cidades da 6ª região.

A reunião foi mediada pela Coordenadora da Rede Cegonha Alagoas, Sirlene Patriota, que falou sobre a importância dos municípios trabalharem ações integradas para garantir atendimento eficaz e de qualidade as gestantes e mulheres no período pós-parto.

“Construímos nesta reunião o protocolo de atendimento da 6ª Região, onde pactuamos alguns pontos que visam organizar as ações de assistência dentro da Região de Saúde para reduzir os riscos às pacientes, que serão atendidas ou encaminhadas para o local certo e de acordo com a sua necessidade. Assim também diminuímos o nível de estresse dos profissionais que, muitas vezes, recebem uma paciente de risco, mas tem dificuldade para onde podem encaminhar”, enfatizou a coordenadora.

“As gestantes do nosso município contam com atendimento pré-natal nas Unidades Básicas de Saúde, atendimento especializado com um ginecologista para aquelas que têm algum risco em sua gestação, além de serem encaminhadas para o Hospital Carvalho Beltrão e Maternidade Santa Mônica, em Maceió, para acompanhamento em caso de necessidade. Estamos fazendo o possível para aperfeiçoar a cada dia esses serviços e se integrar a outros municípios com o intuito de colaborar, é sempre muito gratificante”, completou o secretário de Saúde, Everaldo Viera.

Sobre a Rede Cegonha
Toda mulher tem o direto ao planejamento reprodutivo e atenção humanizada da gravidez ao parto e ao puerpério (pós-parto), bem como as crianças têm o direito ao nascimento seguro e ao crescimento e desenvolvimento saudáveis. Assegurar esses direitos é o objetivo do Ministério da Saúde com o Programa Rede Cegonha. Essa estratégia tem a finalidade de estruturar e organizar a atenção à saúde materno-infantil no País e está sendo implantada, gradativamente, em todo o território nacional.
Componentes da Rede Cegonha

• Pré-natal;
• Parto e nascimento;
• Puerpério e atenção integral à saúde da criança; e
• Sistema logístico (transporte sanitário e regulação).

A Rede Cegonha é uma estratégia lançada em 2011 pelo governo federal para proporcionar às mulheres saúde, qualidade de vida e bem estar durante a gestação, parto, pós-parto e o desenvolvimento da criança até os dois primeiros anos de vida. Tem o objetivo de reduzir a mortalidade materna e infantil e garantir os direitos sexuais e reprodutivos de mulheres, homens, jovens e adolescentes. A proposta qualifica os serviços ofertados pelo Sistema Único de Saúde (SUS) no planejamento familiar, na confirmação da gravidez, no pré-natal, no parto e no puerpério (28 dias após o parto).

A Rede sistematiza e institucionaliza um modelo de atenção ao parto e ao nascimento que vem sendo discutido e construído no País desde a década de 80, com base no pioneirismo e na experiência de médicos e enfermeiras obstetras e neonatais, obstetrizes, parteiras doulas, acadêmicos, antropólogos, sociólogos, gestores, formuladores de políticas públicas, gestantes, grupos feministas, ativistas e instituições de saúde, entre outros.

Fonte:
http://www.saude.gov.br/acoes-e-programas/rede-cegonha/sobre-o-programa