Coordenadora da Vigilância em Saúde de Coruripe representa o município em evento nacional, em Brasília.

A coordenadora da Vigilância em Saúde, Andressa Vasconcelos, participou entre os dias 02 e 05 de julho do XXXV Congresso Nacional de Secretarias Municipais de Saúde, que aconteceu no Ulysses Centro de Convenções, em Brasília (DF).

Com o tema “Diálogos no Cotidiano do SUS”, o Congresso realizado pelo Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (Conasems) promoveu o encontro de mais de 5 mil participantes – dentre eles, gestores municipais de saúde, servidores que atuam no SUS, e de todas as esferas de governo, além de representantes de instituições ligadas à saúde pública e autoridades.

O evento contou também com o I Encontro Nacional do Projeto Aedes na Mira, que tem como objetivo a implementação de estratégias de prevenção das arboviroses e do manejo do mosquito Aedes aegypti e suas consequências, com foco na capacitação de gestores e técnicos da Saúde.

O Projeto Aedes na Mira foi lançado em 2017, como uma transformação na maneira como gestores municipais de saúde e trabalhadores do SUS podem lidar com as arboviroses. Os mais de 12.900 alunos de todo o país do curso on-line e o sucesso do projeto em 3.947 municípios brasileiros, resultou na seleção de 300 projetos de intervenção para participar do I Encontro Nacional do Projeto Aedes na Mira, que aconteceu durante o XXXV Congresso Conasems.

A representante de Coruripe elaborou o projeto “Estratégias para o enfretamento das Arboviroses em Coruripe/AL: Uma proposta necessária e factível”, que foi um dos selecionados. Ao todo foram 1500 trabalhos analisados e o da coordenadora coruripense foi um dos 300 expostos no congresso. As apresentações foram divididas em 10 salas e visaram à troca de experiências e informações que impactam diretamente no fortalecimento das ações de combate ao mosquito transmissor da Dengue, Zika e Chikungunya nos municípios.

“A princípio, seria mais uma oportunidade de atualização e ampliação de conhecimento sobre as Arboviroses, mas no decorrer do curso on-line de 40h que realizei para participar do congresso, percebi que as informações adquiridas, as trocas de experiências e a necessidade da realização do projeto de intervenção que seria algo mais amplo. E com o apoio da minha família, da minha tutora, dos colegas de trabalho e do secretário Everaldo Vieira, concluí o curso com êxito”, destacou Andressa Vasconcelos.

Ela falou ainda sobre o trabalho desenvolvido. “O projeto de intervenção é algo que, se implantado no município, contribuirá muito no controle das Arboviroses (dengue, zika, chikungunya) através da ação integrada de todos os entes públicos e privados no combate ao mosquito (Aedes). Afinal, precisamos entender e disseminar que apesar das Arboviroses serem um problema “de” saúde, não são apenas “da” saúde pública, mas sim de todos os órgãos públicos, privados e também da população”, finalizou a coordenadora.