SMS Coruripe emite nota sobre caso de meningite no município

A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) Coruripe, através da Vigilânca em Saúde, divulgou uma nota de esclarecimento sobre o caso de meningite no município.

O fato se deve por conta da morte da paciente A.M.L.S, ocorrida no último final de semana, por meningite viral.

Segundo a Vigilância em Saúde de Coruripe, o caso de meningite do município que, infelizmente, resultou em óbito, trata-se de um caso isolado e não sendo um surto.

Abaixo, segue a nota da SMS.

NOTA DE ESCLARECIMENTO

Diante dos inúmeros questionamentos sobre o caso de óbito por meningite no município, e também da divulgação de informações distorcidas, a Secretaria Municipal de Saúde (SMS), por meio da Vigilância em Saúde, traz alguns esclarecimentos sobre a doença e condutas da SMS frente a este caso.
A meningite é um processo inflamatório das meninges, membranas que envolvem o cérebro, que pode ser causada por diversos agentes infecciosos, como bactérias, vírus e fungos, dentre outros, e agentes não infecciosos (ex.: traumatismo).

Em geral, a transmissão é de pessoa a pessoa, através das vias respiratórias, por gotículas e secreções da nasofaringe, havendo necessidade de contato íntimo (residentes da mesma casa, pessoas que compartilham o mesmo dormitório ou alojamento, comunicantes de creche ou escola, namorado) ou contato direto com as secreções respiratórias do paciente.

O quadro clínico é grave e caracteriza-se por febre, cefaléia intensa, náusea, vômito, rigidez de nuca, prostração e confusão mental, sinais de irritação meníngea, acompanhados de alterações do líquido cefalorraquidiano (LCR).

Na MENINGITE VIRAL, que acometeu a paciente A.M.L.S, o quadro clínico é semelhante ao das demais meningites agudas. Entretanto, o exame físico chama a atenção o bom estado geral associado à presença de sinais de irritação meníngea. Em geral, o restabelecimento do paciente é completo, mas, em alguns casos, pode permanecer alguma debilidade, como espasmos musculares, insônia e mudanças de personalidade. A duração do quadro é geralmente inferior a 1 semana. Outrossim, as meningites virais não estão associadas a complicações.

O tratamento é realizado após a avaliação médica e análise preliminar de amostras clínicas do paciente, que receberá tratamento de acordo com o agente causador. No caso de meningite bacteriana, o tratamento é realizado com antibióticos específicos, nos casos de meningite viral, em geral, utiliza-se o tratamento de suporte, com criteriosa avaliação e acompanhamento clínico.

O uso de medicamentos (quimioprofilaxia) está indicado SOMENTE para os contatos próximos dos casos suspeitos de “Doença Meningocócica e meningite por Haemophilus influenzae” tipo B. Para outros tipos de meningites, a quimioprofilaxia não está indicada.

ATENÇÃO:
O caso de meningite do município que, infelizmente, resultou em óbito, trata-se de um caso isolado e não sendo um surto. Tanto a condição clínica, como o exame do paciente, não indica a necessidade de uso de medicamentos pelos que mantiveram contato com o paciente.

As vacinas contra meningite são específicas para determinados agentes etiológicos. Algumas fazem parte do calendário básico de vacinação da criança, outras estão indicadas apenas em situações para controle de surto e algumas são indicadas para grupos especiais.

Outras formas de prevenção incluem: evitar aglomerações e manter os ambientes ventilados e limpos.

Sabemos que a divulgação de informações distorcidas gera intranquilidade pública, mas, não há motivos para preocupações e todas as normas do Ministério da Saúde (MS) estão sendo devidamente seguidas pela Vigilância Epidemiológica do Estado, juntamente com a Vigilância Epidemiológica Municipal.

Secretaria Municipal de Saúde – _Vigilância em Saúde
de Coruripe_, 10 de outubro de 2017.