Projeto VivaVôlei leva esporte e inclusão a crianças e adolescentes especiais

 

O prefeito Joaquim Beltrão visitou ontem (24), o projeto VivaVolei que acontece no Clube do Povo. Ele acompanhou o desenvolvimento das ações de inclusão social e desportivas, que todas as quartas-feiras são realizadas com alunos especiais das escolas municipais e depois conversou com participantes e educadores.

As ações do VivaVôlei em Coruripe são desenvolvidas pela secretaria municipal de Esportes, Lazer e Igualdade Racial e têm o objetivo de

educar e socializar as crianças e adolescentes através do esporte, reduzir a evasão escolar, promover a integração e inserção social, afastar as crianças da criminalidade e das drogas, ensinar os valores éticos e morais da cidadania através do esporte, além de difundir e democratizar a modalidade voleibol.

Os alunos especiais da rede municipal são acompanhados nas escolas e no projeto por profissionais do Atendimento Educacional Especializado (AEE), que é uma modalidade de acompanhamento voltada ao público com deficiência física, deficiência mental, alunos com surdez, cegueira, baixa visão, surdocegueira, transtornos globais do desenvolvimento e altas habilidades.

“Abraçar projetos como esse, é dizer sim à inclusão. Esse tem sido o lema das minhas gestões, incluir, agregar, juntar e humanizar os atendimentos o máximo possível. Olhar para essas crianças sorrindo é perceber que as nossas metas estão sendo cumpridas”. Concluiu o prefeito.

Sobre o VivaVôlei

É um Programa de iniciação ao voleibol cuja diretriz é educar e socializar meninos e meninas de 7 a 14 anos através do esporte. O Projeto foi iniciado em 1999 pela Confederação Brasileira de Voleibol, a entidade máxima da modalidade no país e em 2003 a CBV criou o Instituto VivaVôlei, que é qualificado como Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (OSCIP), para gerenciar o Programa.