Secretaria Municipal de Saúde promove palestra sobre doença rara

A secretaria municipal de Saúde promoveu na manhã de hoje (05), na Câmara Municipal de vereadores de Coruripe uma palestra sobre a uma doença rara, a Mucopolissacaridoses (MPS). A palestra que foi ministrada pela enfermeira do Centro de Infusão dos Pacientes com MPS de Arapiraca, Leylane Lira, contou com a presença de aproximadamente 100 profissionais da saúde de Coruripe, incluindo médicos e enfermeiros das Unidades Básicas de Saúde, tanto dos povoados como também da zona urbana.

O tema da palestra foi: “Você já ouviu falar em Mucopolissacaridoses? Que teve o objetivo de despertar o olhar dos profissionais para diagnosticar a doença em pacientes que passam por suas respectivas UBS’s. A Mucopolissacaridose apesar de ser uma doença genética rara, tem no nordeste uma grande incidência de casos já diagnosticados.

Alagoas conta hoje com três Centros de Diagnósticos um em Arapiraca, um em Maceió e outro em Viçosa que atendem pacientes com suspeita da doença e pacientes já diagnosticados. A enfermeira falou da importância de cada profissional está atento a essa doença. “É de grande importância que os profissionais estejam preparados para diagnosticar a doença o mais breve possível, pois a qualidade de vida do paciente pode ser comprometida com o diagnóstico tardio”. Disse ela.

Sobre a doença

Mucopolissacaridose ou MPS é um subgrupo das doenças de depósito lisossômicos (DDL) as quais pertencem ao ainda maior grupo de doenças genéticas do metabolismo, causadas por deficiência de enzimas. Juntas, afetam cerca de 1 em cada 25.000 nascidos vivos por ano.

Causa

Nas MPS, existe a deficiência ou falta de uma determinada enzima nos lisossomos, o que leva ao acumulo de glicosaminoglicanos (GAG), conhecida antigamente como Mucopolissacárides, nome que deu origem a patologia. Os glicosaminoglicano são moléculas que possuem em sua composição açucares que se ligam a uma proteína central. Essa molécula absorve água em demasia, adquirindo uma consistência viscosa, promovendo assim a lubrificação entre os tecidos, permitindo o deslizamento na movimentação entre eles. Essa diminuição de atrito entre os tecidos permite, por exemplo, o movimento das articulações ósseas. Esse acumulo leva a disfunção na lubrificação dos órgãos causando danos progressivos.

Sinais e Sintomas

As manifestações clínicas das MPS são normalmente multissistêmicas (afetam diversos órgãos) e muito variáveis, existindo formas leves, moderadas e graves. Podem afetar o cérebro, olhos, ouvidos, coração, fígado, ossos e articulações.